• Cristina Horst

Transição de carreira: como se organizar para esse momento


Mudar de ares, fazer outra coisa da vida e aliar atividade profissional com propósito de vida tem sido um chamado cada vez mais frequente.

Quando esse momento chega, não tem quem segure! Quer dizer, tem sim: as dúvidas sobre o futuro, o medo, a instabilidade, tudo isso segura.

Eu passei por um processo similar em 2019. Sentia que precisava expandir meus horizontes e gastar mais tempo fazendo o que realmente entendia como importante. Na época trabalhava em uma grande empresa e o que mais me incomodava era o tempo gasto com burocracias, que me faziam sentir improdutiva e frustrada.

Ao mesmo tempo não tinha ideia de como dar início a uma mudança na carreira, até que, quase por acaso, comecei a me interessar pelo mundo das finanças pessoais.


Encontre a sua paixão e pense fora da caixa

Como economista esse é um tema ao qual nunca havia dedicado atenção, até que comecei a perceber que os amigos próximos sempre pediam uns “palpites”. Então decidi estudar mais sobre o assunto para uso pessoal e foi quando despertei para esse mundo.

Nessa época eu ainda não tinha ideia em como ganhar dinheiro com isso. Nunca havia me imaginado como autônoma e a única coisa que me preocupava era como começar uma nova atividade sem deixar a antiga.

Pare e pense o que você faz bem? Qual é a ajuda que os amigos sempre te pedem ou então em que você é reconhecido por “fazer bem”?

Essas são pistas importantes nesse momento de descoberta. Se estiver difícil encontrar essa resposta sozinho, converse com aqueles amigos ou parentes mais chegados. Pode ser um bom início para começar a enxergar qualidades que podem se transformar no seu futuro negócio.


Comece com o que tem, expondo-se ao risco de modo controlado

Se você ainda não está seguro sobre essa nova atividade, eu recomendo que comece a fazer testes antes de abandonar o emprego atual.

Eu comecei assim: ofereci a alguns amigos o atendimento em um formato de aulas sobre finanças pessoais. A remuneração era quase uma piada de tão baixa, mas eu precisava ter o meu primeiro caso de sucesso para validar as minhas ideias. Meu método também não estava 100% fechado, então eu também precisava de alguém disposto a testá-lo e a me dar um feedback sincero.

Mesmo que você esteja cheio de inseguranças, esse primeiro passo é muito importante. É o que vai te ajudar a lapidar a sua ideia.

Eu sei que as condições podem não ser as ideais e que vão surgir muitas dúvidas sobre como precificar. Lembre-se de que aqui a experiência é mais importante do que a remuneração em si. Então comece o que tem, com as condições que dispõe e valide a sua ideia. Teste e veja se é isso mesmo. Esteja disposto a aprender e certamente essa experiência será muito rica e importante na sua jornada.


Prepare-se financeiramente para a transição

Use esse período de testes e experimentos para também se preparar financeiramente. Ter um colchão financeiro para passar pelo período de adaptação até o seu negócio se firmar é fundamental, pois vai te dar a segurança necessária para continuar.

Recomendo que você tenha pelo menos seis meses do seu custo de vida guardado para usar em casos emergenciais. A tranquilidade para passar pelos momentos de oscilação virá daí.

Como eu não sabia nada da vida autônoma e tinha muito medo desse processo, fui mais conservadora e juntei o equivalente a 1 ano de despesas guardados. Deu certo: esse dinheiro me deu segurança e nem precisei mexer nele, mesmo com a minha transição ter acontecido de uma forma um pouco abrupta (mas isso é papo pra outro texto 😉 ).


Defina as perdas aceitáveis nesse processo

Entender o que você está disposto a abrir mão e até onde vai tolerar perdas nesse processo de troca é muito importante.

Quando falo de perdas me refiro a dinheiro e também ao lado emocional que essa transição impõe. No caso de mudar de uma situação de empregado para empreendedor solo, invariavelmente você vai precisar dispor de mais tempo para a sua atividade profissional, o que pode trazer algumas restrições de tempo e disponibilidade.

Isso precisa estar bem claro para você, inclusive com a definição de até onde você está disposto a ir para investir na sua nova carreira. Vai te ajudar a fazer as pazes com o processo e aceitar melhor as mudanças pelas quais você vai passar.

Financeiramente a definição dessas perdas aceitáveis e que vai definir o limiar entre um projeto que não deu certo e uma bola de neve que ainda vai te consumir por muito tempo, financeira e emocionalmente falando.


Tenha metas claras e possíveis

Por mais incerto que esse futuro possa parecer, ter metas claras e bem definidas será um guia para os momentos de incerteza e indecisão.

Preocupe-se em estabelecer metas possíveis, porque o contrário disso te trará frustração e desestímulo.

Durante o meu processo de transição, precisei rever as metas em vários momentos e tudo bem. É difícil acertar de primeira. O que precisamos é saber qual o rumo que vamos tomar e estar dispostos a aprender com os resultados que vamos colher.

Não tenha pressa. Esteja ciente de que essa mudança é um processo e que nada acontece em um passe de mágicas. Trabalho, foco e consistência serão seus grandes aliados na jornada.


Cuide da sua saúde mental e saiba separar você de seus negócios

Nem tudo vai dar certo na primeira tentativa.

Você também não vai conseguir fazer tudo perfeito e de uma vez só. Conhecer a si, ter clareza das suas qualidades e do seu valor vai te ajudar a ter forças para recomeçar quando necessário.

Esteja aberto ao novo e para aprender com esse momento. Seu novo empreendimento, seja sua carreira ou mesmo um novo negócio são partes importantes da sua vida, mas não são tudo.

Lembre-se de cercar-se de pessoas que a apoiam e que querem seu bem.

Manter essa segurança emocional e garantir seus momentos de descanso é o combustível que vai te levar adiante.


Saiba a hora de pedir ajuda também! O caminho pode ser muito solitário e cheio de dúvidas. Ter alguém com experiência para te ajudar a se preparar para este momento certamente vai te deixar mais seguro e te poupar muitas preocupações!


Recorrer a pessoas mais experientes, seja para ajudar a planejar esses passos ou mesmo para clarear as ideias não é sinal de fraqueza, pelo contrário, é um meio de seguir com o direcionamento e o apoio de quem já passou por isso. E nesse quesito, você sabe que eu posso te ajudar né?


Vai por mim, comigo tem dado certo e espero que continue dando... tô me esforçando pra isso!


Até a próxima!