• Cristina Horst

QUAL O MELHOR INVESTIMENTO?


Quando estamos dando os primeiros passos no mundo dos investimentos, uma avalanche de dúvidas surge: onde deixar o dinheiro, qual a segurança dos investimentos, o que é a tal da liquidez e por aí vai.


E como se não bastasse ter que lidar com toda a insegurança do início, a gente ainda precisa escolher considerando variáveis que nem entendemos direito. A única pergunta que a gente realmente quer responder é: qual é o melhor investimento?


Eu sei que seria muito mais fácil se o gênio saísse da lâmpada e nos desse a resposta, mas eu sinto decepcionar, o tal do gênio só existe no desenho e seja lá quem esteja tentando te vender esse tipo de informação, o que estão tentando mesmo é te enganar.


O melhor investimento do momento será sempre aquele que esteja alinhado aos seus objetivos. Em termos práticos, o que quero dizer é que no momento de escolher os investimentos você precisa observar 4 itens principais: prazo, segurança, aporte e a rentabilidade.


Vou te explicar como fazer isso: imagina comigo que o seu objetivo seja uma viagem para Fernando de Noronha daqui dois anos.


Com essa informação você já sabe que o dinheiro precisa estar disponível daqui dois anos, isso refere-se ao prazo.


Além disso, você não pode correr o risco de chegar à data e esse valor ter diminuído, simplesmente porque isso inviabilizaria a viagem. É observando esse quesito que você fará a escolha de qual a segurança deseja ter para o seu investimento.


Conhecendo o lugar pra onde você quer viajar, já é possível estimar quanto de dinheiro você vai precisar pra realizar essa viagem do jeito que sonhou. E o próximo passo é saber: você já tem todo o dinheiro ou pretende investi-lo mês a mês até juntar a quantia suficiente?


É aqui que você define se escolherá um tipo de investimento para realizar um aporte único, ou seja, depositar tudo de uma vez e só retirar na data prevista; ou então aquele que permita você realizar novos aportes mensais.


Por fim, cruzando as informações sobre o prazo em que você quer retirar o dinheiro, a segurança que espera de seu investimento com o formato de aporte que deseja realizar, qual é a rentabilidade esperada e disponível para investimentos que reúnem as características anteriores?


Buscar o “melhor investimento” seguindo esses critérios vai te livrar de escolhas ruins. Imagine a sensação de chegar a data da viagem e o dinheiro não estar disponível, ou mesmo o valor ter diminuído a ponto de se tornar insuficiente para a viagem como o planejado. Péssimo, né?


Por isso, na hora de escolher, é fundamental que você consiga responder essas perguntas:

- Quando você precisa que o dinheiro esteja disponível? (prazo)

- Qual o risco que você se sente confortável em assumir para seu investimento? (segurança)

- Você já tem todo o dinheiro para investir ou pretende juntar o dinheiro ao longo do tempo? (aporte)

- Cruzando as informações anteriores, qual é a rentabilidade esperada e possível?


Outro passo fundamental é que quando você for investir seu dinheiro, que você entenda o que está fazendo.


Se você não conseguir explicar essa sua escolha para sua avó, significa que você também não entendeu o que está fazendo. Ou seja: deveria buscar mais informações antes de tomar essa decisão.


Não precisa se tornar um expert em investimento para fazer boas escolhas. Até porque, essas escolhas precisam fazer sentido pra você! Se mover apenas por “indicações do mercado” ou em busca do “investimento do momento” pode te causar mais prejuízos do que ganhos.


Entender quais são seus objetivos, respondendo os pontos que expliquei aqui (prazo, segurança, aporte e rentabilidade), e entender minimamente o que é a Taxa Selic, o CDI e a inflação já é mais que suficiente para dar os primeiros passos de forma segura e assertiva.


Comece simples e sempre direcionado aos seus objetivos que certamente você terá sucesso. Até porque, o melhor investimento será sempre aquele que atende ao que você precisa!


Até a próxima!