• Cristina Horst

O QUE FAZER PRA NÃO ENTRAR NO VERMELHO

Pode parecer óbvio que pra não entrar no vermelho é só gastar menos do que ganha, mas na prática, as coisas não são tão óbvias assim. O pneu do carro fura, a geladeira estraga, os preços do mercado aumentam e tem momentos que tudo parece colaborar para a nossa catástrofe financeira.

A boa notícia é que você não está sozinho nessa batalha e que existem estratégias para evitar essa “tragédia anunciada”. E é sobre isso que vamos falar aqui!

A premissa básica do equilíbrio financeiro é gastar menos do que recebe. Se isso não tem sido possível por aí, as alternativas são ajustar os gastos e recorrer à renda extra.

Mas e se agirmos antes do problema se estabelecer? O que precisamos fazer para que o orçamento alcance até o final do mês? É sobre isso que vamos falar aqui de uma maneira bem prática e efetiva!


Planeje o seu mês!

Esse planejamento financeiro simples vai te dar muito mais clareza sobre as suas possibilidades. E não tem nada a ver com futurologia ou alguma outra estratégia mirabolante, a dica aqui é muito simples: colocar o papel a caneta pra trabalharem seguindo esses 4 passos.


Passo 1: Anote tudo o que você tem pra receber no próximo mês, ou seja, toda a previsão de receita.


Passo 2: Escreva todas as suas despesas conhecidas, como aluguel, prestação do carro, internet, cartão de crédito, e tudo o mais que você já tem comprometido para pagar no próximo mês.


Passo 3: Agora faça a continha: diminua as receitas (tudo o que você vai receber) das despesas conhecidas (tudo o que você já sabe que vai gastar). O valor que “sobrou” é o que você terá disponível para custear as suas despesas variáveis, que são aquelas que você não tem bem certeza de como serão durante o mês. Isso inclui os gastos pessoais, com mercado, com lazer, entre outros.


Passo 4: Divida o valor destinado às despesas variáveis pelo número de semanas no mês. Assim fica muito mais fácil de controlar as suas despesas e se manter dentro da sua meta pois você saberá exatamente o quanto tem pra gastar com esses itens por semana.


Pra manter esse passo a passo ainda mais eficaz, eu recomendo que utilize o dinheiro vivo para o pagamento dessas despesas. Escolha um dia fixo da semana para colocar esse dinheiro na sua carteira e a partir de então faça o seu controle. Tenho certeza que agindo assim você terá muito mais chance de se manter dentro da sua meta!


E se ainda assim a conta não fechar?

Aproveite esse momento do planejamento do seu mês pra avaliar como estão as suas despesas. Procure por possibilidades de otimização, como por exemplo cortar tarifas bancárias, renegociar planos de telefone e internet, cancelar assinaturas de serviços que você não usa, e por aí vai.


Se ainda assim parecer impossível fechar as contas nesse mês, recomendo que você se esforce na otimização dos seus gastos e que pense em formas alternativas para aumentar os seus ganhos nesse mês. E aí vale vender itens que você não usa mais, como objetos, móveis, eletrônicos e roupas, fazer algum trabalho pontual ou esporádico como dar aula, levar os cachorros do vizinho pra passear, ou o que mais a sua disposição e seu tempo disponível permitirem. Outro dia disponibilizei um texto com ideias pra sua renda extra que você pode CONFERIR AQUI.



Atitudes que contribuem pra sua saúde financeira

Além desse planejamento prévio, existem algumas outras atitudes estratégicas que vão te ajudar a controlar seus gastos. Listei aqui 7 delas:


1. Priorize o pagamento dos gastos variáveis em dinheiro. Essa ação te ajudará a manter um controle maior sobre o seu gasto, pois só de olhar para a carteira você já vai saber exatamente quanto ainda resta para terminar a semana.


2. Evite utilizar o cartão de crédito para o pagamento dos gastos variáveis, pois essa ação favorece o descontrole.


3. Mantenha apenas um cartão de crédito com um limite igual ou inferior a um mês da sua renda. Além de facilitar a gestão dos seus gastos, esta estratégia também vai garantir que você não se exceda nas compras e acabe gastando muito mais do que consegue pagar.


4. Planeje as compras da semana. Faça lista de itens antes de ir ao mercado e se mantenha fiel à ela. Assim você vai evitar o descontrole do gasto e também o desperdício de alimentos.


5. Cultive hábitos saudáveis. Aqui as possibilidades são infinitas q estão relacionadas tanto a proporcionar economia financeira quanto aumentar a sua qualidade de vida. Pra ilustrar eu dou deixar três dicas iniciais e então, a continuidade da lista de possibilidades fica por sua conta!

- Vá à pé ou de bicicleta sempre que possível, e quando não for, dirija devagar e com cuidado, assim vai economizar combustível e diminuir a chance de multas e acidentes;

- cozinhe em casa optando por alimentos frescos e mais saudáveis; e

- Faça exercícios físicos, assim você irá diminuir consideravelmente a chance de ter doenças provenientes do sedentarismo.


6. Se blinde das compras por impulso: descadastre os dados do seu cartão de crédito de todos os aplicativos e sites que costuma navegar. E aproveita esse embalo e já faça um “limpa” nos e-mails marketing que recebe e se descadastre destas listas. Também vale deixar de seguir perfis que te estimulam a consumir.


7. Construa a sua reserva de emergência. É esse dinheiro que vai te socorrer nos momentos de aperto financeiro e evitar que você caia na armadilha do cheque especial.



A palavra chave para se manter dentro do orçamento é “planejamento”. Agir preventivamente definindo o caminho que deseja percorrer e estabelecendo limites é fundamental para evitar surpresas desagradáveis no final do mês.


E lembre-se: quanto mais simples melhor! Mantenha seu planejamento simples de entender que com certeza suas chances incorporar essas ações no dia a dia serão muito maiores!


Agora é a sua vez: que tal colocar a duplinha “papel e caneta” pra funcionar?




Clique AQUI e confira mais dicas como essas no meu canal do YouTube!