• Cristina Horst

O DINHEIRO DO CASAL: DICA PRA NÃO DESGASTAR A RELAÇÃO


Organizar as finanças sozinho não é tarefa fácil, quando trazemos esse assunto para o ambiente familiar, aí sim isso pode se transformar em um caos completo.

O que você precisa saber é que existem estratégias que podem te ajudar escrever um caminho diferente quando o assunto são finanças a dois, e é pra te ajudar com esse caminho que escrevo esse texto.


Em quatro passos simples é possível transformar completamente a forma como o dinheiro é tratado e entendido por aí. Se liga aqui nesses passos:


Passo 1: Conversem sobre dinheiro.

Não importa em qual etapa do relacionamento você esteja hoje. É importante falar sobre dinheiro, pois quando não falamos sobre o assunto criamos um espaço para as suposições e expectativas. Estas sim são perigosas, pois a imaginação pode nos levar a lugares muito distantes da realidade, o que gera frustração e uma série de outros problemas.

O dinheiro é algo que permeia nossa vida em vários aspectos. É algo natural e como tal, precisa ser incluído nos nossos diálogos pra aprendermos a lidar com ele de uma forma mais saudável. Por isso é importante saber o que o outro pensa sobre o dinheiro, como faz essa gestão e combinar alguns pontos, para evitar que o mundo das expectativas frustradas venha minar sua relação.


Passo 2: Construam planos e sonhos em conjunto

Quando temos alguém junto a nós para perseguir os mesmos objetivos, nos sentimos mais encorajados e com força para prosseguir Além disso, construir planos em comum faz com que cada um se sinta não só participante da decisão, mas responsável por ela também e, portanto, mais propenso a buscar essa realização.


Passo 3: Elaborem e respeitem o orçamento familiar

Quando vocês tiverem objetivos claros e específicos para perseguir, o próximo passo será elaborar um orçamento familiar. E o mais importante: respeitá-lo.

Elaborar o orçamento familiar inclui prever os limites orçamentários para as despesas variáveis e também o acordo de como será essa divisão financeira entre o casal. Lembre-se que quanto mais clara for essa conversa, menor a chance de rusgas geradas por conta da falta de entendimento.


Passo 4 – Invistam em conjunto e de forma disciplinada

Juntar os recursos para investir dará maior robustez aos valores e isso fará com que os investimentos tenham mais força e cresçam mais rapidamente. Ter a disciplina pra levar esse plano de investimento adiante é que fará toda a diferença na construção do patrimônio familiar ao longo do tempo.

Entendidos os quatro passos principais você ainda pode estar se perguntando qual é o formato ideal para dividir a responsabilidade das contas entre o casal. Aqui não existe resposta certa ou errada. O que existe são estratégias que podem se adequar mais ou menos à dinâmica do casal.


Vou explicar as três principais formas de divisão do orçamento familiar:


1. Divisão 50/50

Nesse formato, todas as despesas da vida comum são divididas igualitariamente, independendo de qual a renda de cada um. As contas chegam e são divididas por dois, simples assim. Cada um continua com sua conta individual e efetua o pagamento das contas da casa no valor que lhe toca.


2. Comunhão total

Aqui o dinheiro de cada um é entendido como único, do casal. O formato mais comum pra esse tipo de gestão é a adoção de conta conjunta para gerir todos os recursos. Aqui é imprescindível que haja um planejamento conjunto para evitar mal entendidos e desconhecimento de uma das partes sobre o que está sendo feito com o dinheiro. Um importante benefício proporcionado por essa estratégia é a unificação dos cartões de crédito, que além de permitir a economia com tarifas ainda proporcionará o maior acúmulo de benefícios, como pontos, por exemplo.


3. Divisão proporcional

Esse é o modelo escolhido por aqueles que prezam pela equidade na divisão. Aqui as despesas são divididas na mesma proporção que as receitas, ou seja: quem ganha mais paga mais proporcionalmente. Nesse tipo de relação financeira, é comum que seja adotada uma conta conjunta para a gestão das despesas do casal e que os demais compromissos financeiros sejam geridos individualmente em contas distintas, cada um responsável pelo seu próprio gasto pessoal.


A chave para a gestão financeira em conjunto será sempre prezar pelo respeito e pelo diálogo. Afinal, quem opta por dividir o bem mais precioso que é a vida, também encontrará uma forma leve de dividir as preocupações e felicidades que o dinheiro pode trazer.

Clique AQUI e confira mais dicas como essas no meu canal do YouTube!