• Cristina Horst

Me planejar para quê, se eu posso morrer amanhã?


Esse pensamento é uma ótima desculpa para não se planejar. Mas não passa de uma desculpa mesmo. Ele vai te deixar no quentinho da zona de conforto e te manter aí, exatamente aonde está.

Pois é, mas daqui dez anos pode ser que esse lugar aí não sirva mais, o problema é que é exatamente onde esse tipo de pensamento vai te deixar. E aí não adianta reclamar que você não esperava viver tudo isso, porque já viveu.

Então, quando ouço esse tipo de pergunta, minha resposta é sempre essa: e se você viver, como vai ser?

Eu não gosto de pensar no amargor de quem chega no fim da jornada e percebe que a maior parte dos sonhos e objetivos não foram alçados, simplesmente porque entregou a realização à própria sorte.

Eu tô aqui pra te dizer que ainda dá tempo de agir. Que você pode retomar as rédeas da sua vida e fazer as próprias decisões. E sabe por onde começar? Planejando!


Clareza sobre o caminho a seguir

Pensar sobre seus objetivos é o começo de tudo. O segundo e passo é desenhar as formas de alcançar esses objetivos. É aí que entra o planejamento.

Muito mais do que fazer contas, o planejamento financeiro é como um guia que te direciona para alcançar seus objetivos. Eu estou falando de planejamento mesmo, não de sorte.

O que teremos aqui são estratégias pessoais e intransferíveis, pois só você sabe o que realmente faz sentido para sua vida.


Ter segurança para os momentos de tomada de decisão

Ao entender seus objetivos você se torna mais seguro para tomar decisões, porque terá clareza sobre o que te aproxima ou afasta da realização deles. Você se torna mais assertivo ao fazer suas escolhas.


Garantir que a qualidade da sua vida presente sem comprometer seu futuro

Planejar está muito longe da ideia de economizar a qualquer custo ou “passar vontade”.

As análises e projeções criadas no planejamento financeiro que eu construo com você, irão respeitar tudo o que é importante e fundamental na sua vida hoje.

Claro, propondo otimizações e melhorias que possam viabilizar o futuro que você deseja.

A estratégia que criamos respeitará sempre essas duas premissas: qualidade de vida no presente e tranquilidade no futuro.

Proteger seus amados das eventualidades, inclusive, da sua falta por aqui

Tem alguém que dependa financeiramente de você? Você tem bens no seu nome? Se a sua resposta foi sim para qualquer uma dessas perguntas, deve mesmo começar o seu planejamento o quanto antes, porque você já parou pra pensar quanto custa morrer no Brasil?

E fazer transmissão de patrimônio? Já posso adiantar que não é nenhuma merreca viu, e é justamente por isso que tem tanta história por aí de gente enrolada com inventário das pessoas que já foram embora.

E vou além: se acontecer algo que te impeça de continuar produzindo e gerando renda, o seu sustento estaria garantido de uma forma confortável?

É, acho que já deu para entender a importância de um bom planejamento financeiro, pois ele responde a todas essas questões...


E se aquele futuro chegar, garantir uma vida minimamente digna.

Por fim, se o tal futuro chegar, o mínimo que você merece é ter uma vida digna. Mas presta atenção aqui nesse dado: só 1% dos idosos brasileiros tem uma vida financeira independente. O restante depende de doação, ajuda de parentes ou então é obrigado a trabalhar.

Acho que não é bem isso que esperamos quando pensamos em velhice digna né?

Planejar é garantir que você continuará tomando as próprias decisões e que isso vai te manter o mais próximo possível da vida que você deseja levar hoje e no futuro.

Vamos bater um papo sobre como o planejamento pode se encaixar na sua vida? É só clicar AQUI que já abre um canal direto comigo.

Vem que eu te ajudo nesse processo de se transformar em dono do próprio destino J