• Cristina Horst

Como manter o foco nas minhas metas

Cada vez que a gente começa um novo plano, um novo negócio bate aquela empolgação e só conseguimos pensar que tudo vai dar certo. Mas com o passar dos dias aquela chama parece que vai apagando aos poucos e quando percebemos, essa meta já não é mais uma prioridade e muito pior: a gente passa até a ignorá-la. Quem nunca?

Pra nossa sorte, existem estratégias que colaboram para que nos mantenhamos focados nas nossas metas e o que eu vou dividir com vocês hoje são algumas das estratégias que eu utilizo.


1. Estabeleça metas reais e possíveis

Tudo começa no momento de definir quais serão as suas metas. Elas precisam ser desafiadoras para que você se sinta motivado a persegui-las, mas não podem ser impossíveis de serem alcançadas, pois isso traria frustração antecipada e o abandono desse objetivo. Por exemplo: não adianta colocar como meta juntar todo o dinheiro que você precisa ter pra poder parar de trabalhar em um único mês porque sabemos que não é uma meta real. Mas se você estabelecer um prazo mais longo e estiver comprometido, se torna muito mais real e animador perseguir essa meta.


2. Lembre-se das metas

Já ouviu falar em “mapa dos sonhos”? Ele consiste em juntar imagens que representem as metas que você deseja alcançar em um mesmo template, pra que você possa “visualizar” esses seus sonhos. Nessa técnica vale tanto fazer recorte com revistas e jornais, como lançar mão da tecnologia e criar seu mapa on line, com a ajuda de imagens da internet e alguma ferramenta de montagem de fotos.

E é assim q eu faço: monto meu mapa dos sonhos e deixo salvo nos arquivos do meu celular, para sempre estar acessível e me lembrar quais são meus objetivos reais e me ajudar a manter o foco.

Agora, se esse objetivo tiver relação direta com o gasto no cartão ou mesmo na carteira, eu costumo colar um post-it no cartão, pra toda vez que abrir a carteira me lembrar do porque é importante fazer escolhas que não me sabotem nesse momento.


3. Assuma um compromisso público

Comprometa-se com outras pessoas a alcançar a sua meta. Por exemplo, se você está determinado a juntar dinheiro para uma viagem, combine com alguém pra viajar junto e assim você terá uma motivação a mais para continuar focado. Compromissos publicamente divulgados servem para influenciar a nós mesmos. No começo desse ano eu assumi publicamente, pelo instagram, o compromisso de praticar atividade física 260 vezes no ano (ou 5 dias na semana). Eu sei que tem gente acompanhando e que esse desafio motiva a outras pessoas também, então todas as vezes que penso em ficar largada no sofá, lembro desse compromisso e ele me faz levantar e continuar.


4. Crie um ambiente favorável

Facilite a execução da sua meta. Se você quer começar a criar a sua reserva de emergência, por exemplo, programe uma aplicação financeira para todo início de mês. Assim você nem irá considerar a possibilidade de gastar esse dinheiro, pois ele já não estará disponível. Fica bem mais fácil de poupar assim do que esperar esse dinheiro sobrar na sua conta no final do mês.

Para não correr o risco de não poupar, eu uso essa estratégia: todo começo de mês já realizo os meus investimentos antes mesmo de ter a chance de me sabotar.


5. Pausa para fazer boas escolhas

Quando estamos imersos no mundo das compras, seja dentro de um shopping ou mesmo de uma loja virtual, todos os elementos ali dispostos nos induzem à compra. Não se engane, as estratégias que nos levam a consumir são extremamente rebuscadas.

E para frear esse impulso de compras que te tirem do foco dos seus objetivos, experimente fazer pausas. Especialmente se o valor da aquisição for igual ou superior a 10% da sua renda.

E quando eu falo de pausa, me refiro a sair da loja, do ambiente da compra e dar um tempo mesmo. Qualquer impulso de compra, diminui a intensidade em 50% se você conseguir freá-lo no primeiro minuto, já disse Brad Klontz, autor do livro “A mente acima do dinheiro”.


6. Avalie o impacto das escolhas

Sabe quando você tem um objetivo de mais longo prazo, mas de repente aparece uma nova “oportunidade imperdível”, para outro assunto que não tem nada a ver com a meta principal e isso te deixa na dúvida?

A melhor forma de decidir é pensar sobre o impacto dessas escolhas.

As perguntas são bem simples:

- o que eu ganho e o que eu perco se eu fizer isso?

- o que eu ganho e o que eu perco se eu NÃO fizer isso?

A resposta a essas perguntas te ajudará a decidir o que é a prioridade no momento e entender o que realmente é importante.


Revisitar essas metas de tempos em tempos também é fundamental. Nós mudamos todos os dias e é justo que as prioridades e metas também mudem. O importante aqui é ter clareza do que é importante para você para não deixar que coisas sem importância te tirem do caminho.


E o grande problema não é apenas desviar do caminho, é não conseguir mais voltar pra ele...

Clique AQUI e confira mais dicas sobre como manter o foco nas metas no meu canal do YouTube!