• Cristina Horst

A SOPA DE LETRINHAS DOS INVESTIMENTOS - o que você precisa saber pra começar a investir

Eu sei que quando se trata de economia e investimentos parece que os especialistas falam uma língua impossível de entender. É tanta sigla e nome esquisito que a confusão só aumenta.


Minha missão aqui é traduzir o idioma “economês” pra que você entenda os conceitos e a relação que esses nominhos difíceis tem com o seu dinheiro! Sem a pretensão de tornar esse texto um dicionário completo, que veremos a seguir são as principais informações que você precisa conhecer pra entrar de vez no mundo dos investimentos.


Então vamos ao que interessa!



Inflação

O primeiro conceito que você precisa entender melhor é o de inflação. O principal motivo para você se preocupar com a inflação é o fato dela ser a responsável pelo aumento dos preços e pela diminuição da nossa capacidade de consumo.


Quer dizer que seu dinheiro perde valor quando você o coloca na gaveta, porque os mesmos R$100,00 que compravam um conjunto de coisas ano passado não permitem mais que você compre as mesmas coisas nesse ano. Por exemplo: se a inflação foi de 5% no último ano, significa que para comprar as mesmas coisas você precisaria então de R$105,00.


O principal índice que mede a inflação no Brasil é o IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo, medido pelo IBGE.


Mesmo que você não tenha grandes planos para seus investimentos, é importante que pelo menos os proteja da inflação.


Na prática isso significa que na hora de investir, vale à pena buscar alternativas que, no mínimo, corrijam seu dinheiro no tempo, garantindo o seu poder de compra.



Taxa Selic

A grande ferramenta pra controlar a inflação é a Taxa Selic, que é a taxa mãe de juros e que regula uma série de outros indicadores fundamentais para a nossa economia. Ela é redefinida a cada 45 dias em reunião do COPOM – Comitê de Política Monetária, e no início de 2021, ela estava em 2% ao ano.


Isso significa que se você fizer um investimento no Tesouro Selic, que é um título do Tesouro Direto que tem o rendimento atrelado a essa taxa, o seu dinheiro vai render exatamente igual ao valor da Taxa Selic, 2% ao ano.


Um exemplo prático: se você investir R$100,00 no Tesouro Selic o seu rendimento hoje seria de R$2,00 ao ano.



CDI – Certificado de Depósito Interbancário

Essa é a taxa “irmã da Taxa Selic”, ela é a referência quando falamos de investimentos.


CDI e Taxa Selic sempre tem valores muito próximos, por exemplo, hoje, enquanto a Selic está em 2% a.a., o CDI está em 1,9% a.a.


Em certos tipos de investimentos é comum encontrar enunciados como: “rende 120% do CDI”. Pra você saber exatamente o que isso significa é só saber quanto está o CDI e fazer a conta para saber quanto que representa aquele percentual.


Exemplo prático: Investimento que rende 120% do CDI

Valor atual do CDI:1.9% a.a.

Conta: valor do CDI multiplicado pelo percentual do rendimento= rendimento do investimento

1.9 multiplicado por 120%= 2.28

Isso significa que esse investimento está rendendo 2.28% a.a.


Regra de ouro: se um investimento prometer rendimentos menores que 100% do CDI, não vale à pena deixar o seu dinheiro lá.


Como saber se um investimento é bom ou ruim?

Não existe resposta certeira para saber se o investimento é bom ou ruim, mas existem pistas. Conhecendo a Taxa Selic já podemos supor que qualquer investimento que renda menos que ela não seja uma boa escolha.

Mas não se engane, existem investimentos assim! Por isso é importante estar por dentro de quanto está essa taxa no momento de escolher o seu investimento.


Categorias de investimento: renda fixa e renda variável

A renda fixa se chama assim porque ela te dá certa previsibilidade da rentabilidade desse investimento. Ou seja, no momento em que você for adquirir seu investimento, você já vai saber exatamente como será a remuneração desse seu dinheiro.


Já na renda variável é um pouco diferente: você não tem absolutamente nenhuma garantia de rentabilidade, ou seja, não tem como prever quanto o seu investimento irá render no momento da contratação. Inclusive, dependendo da situação, seu dinheiro pode não render absolutamente nada.


Esse é o principal risco da renda variável: você pode ganhar mais dinheiro que na renda fixa, ou perder dinheiro com o seu investimento, não há garantia alguma de rentabilidade.


Entendendo melhor os riscos

Sempre quando a possibilidade de retorno for mais alta, existe um risco proporcional atrelado. E aqui é importante pensar: correr risco é ruim?

Não, mas é preciso administrá-lo e isso implica em assumi-los com conhecimento. Mesmo que você não possa prever, você pode entender o que pode acontecer e então se expor a esse risco de forma consciente.

Guarde essa informação: se tem a possibilidade de render muito, tem um alto risco.


Renda fixa pré e posfixada

Sobre a renda fixa ainda existem duas subcategorias importantes que você precisa entender:

- na renda fixa pré-fixada você sabe exatamente quanto será esse rendimento. Por exemplo: se um título do Tesouro Direto Prefixado, informa uma taxa de rentabilidade de 5.02% ao ano, é exatamente isso que você receberá lá na frente, quando fizer o resgate desse título.

- já na renda fixa posfixada, o rendimento estará atrelado a um índice específico, que pode variar ao longo do tempo. Por exemplo: no caso do Tesouro Selic, no momento de contrato desse investimento, você sabe que ele renderá igual à Taxa Selic, mas não tem controle algum sobre quanto essa taxa irá oscilar ao longo do tempo que seu dinheiro estiver investido. Ou seja, essa taxa que hoje é de 2% ao ano pode subir ou descer e com isso a rentabilidade do seu investimento também irá oscilar.


Liquidez

Significa basicamente a rapidez que você tem em transformar seu investimento em dinheiro. Em outras palavras: é a capacidade de transformar um investimento em sanduíche. Se o investimento tiver uma alta liquidez significa que você vai conseguir trocar o seu investimento por dinheiro e comprar seu sanduíche a tempo de matar a sua fome. Caso contrário, isso não será possível.

A representação dessa rapidez se dá por essa sigla: “D+”. Se o investimento for D+0, significa que você consegue transformar o investimento em dinheiro no mesmo dia. Se for D+3 quer dizer que depois que você fizer a solicitação do resgate, vai demorar 3 dias úteis para ter o dinheiro de volta na sua conta.


É importante que a liquidez esteja aliada à sua estratégia de investimento, ou seja, quando você definir qual o objetivo do seu investimento já deve ter clareza sobre quanto tempo deseja deixar o seu dinheiro rendendo, e então poderá escolher o investimento considerando também essa informação.


Lembre-se que se você fizer um investimento por um prazo determinado e realizar o resgate desse dinheiro antes desse tempo acordado, você tem grandes chances de perder dinheiro nessa operação. Por isso considerar a liquidez se torna tão importante.



Imposto de renda

Na maior parte dos investimentos, especialmente os da renda fixa, o imposto de renda já é descontado no momento em que você resgata. Importante lembrar que você só paga o imposto sobre o que rendeu.

A alíquota é regressiva, o que significa dizer que quanto mais tempo você deixa esse dinheiro investido, menor vai ser a cobrança do imposto, que costuma variar de 22,5% até 15%.


Vale lembrar que a poupança rende 70% da Selic, e se a Selic hoje está em 2% a.a., significa dizer que a poupança está rendendo 1,4% a.a. (2 multiplicado por 70%). Dessa forma, mesmo pagando o imposto de renda sobre o investimento, hoje em dia o Tesouro Selic ainda rende mais que a poupança.


O importante é começar

Passei aqui alguns conceitos básicos para você ficar mais inteirado do assunto desmitificar toda aquela sopa de letrinhas dos investimentos.

É mais importante começar a entender desse universo e passar a investir agora do que ficar procurando o melhor investimento do mundo pra começar depois (e talvez até não começar nunca).

Vai aprendendo e começa, continue estudando, testa, assim você vai pegando confiança e entendendo mais do assunto.


O importante é começar e ter essa disciplina para continuar.


Lembre-se de que a melhor forma de vencer o medo e a ansiedade é se expor a situações controladas que provoquem esses sentimentos. Por isso é tão importante vencer essa primeira barreira de investir e começar, mesmo que com pequenos passos...


Afinal, a corrida de uma maratona começa sempre com um primeiro passo.


Até a próxima!




Clique AQUI e confira mais dicas como essas no meu canal do YouTube!